coronavírus: como desinfectar o seu telemóvel sem o estragar

É uma das perguntas com que mais nos temos cruzado ao longo dos últimos dias. Desde que o surto do novo coronavírus se começou a espalhar pela Europa que as pessoas têm tido maiores preocupações de higiene. E desinfectar o telemóvel é uma delas.

Um estudo científico, publicado em 2017, analisou os telemóveis dos estudantes do ensino secundário. E concluiu que estes tinham 10 vezes mais bactérias do que os tampos das retretes. Basta pensar na quantidade de vezes que pegamos no telemóvel ao longo do dia, que o emprestamos a alguém – nem que seja só para o colocar a carregar ou para mostrar alguma coisa – ou que o pousamos em vários locais. Segundo outro estudo, citado pelo jornal britânico The Telegraph, nós pegamos no telemóvel, em média, 2.600 vezes por dia, 76 vezes das quais por longos períodos de tempo. 

saulo-mohana-D_kOW7iHNnw-unsplash.jpg

 

Há pouco mais de uma semana, o Telegraph foi ouvir vários especialistas sobre os perigos do telemóvel como transmissor do Covid-19. Um professor de Microbiologia Clínica, da Universidade de Leicester, no Reino Unido, alertou para o risco: "Qualquer superfície que seja contaminada por secreções respiratórias ou para a qual se tussa ou espirre directamente (...), é potencialmente infecciosa". 

Outros especialistas, contactados pelo jornal, aconselham a ter especiais cuidados de limpeza e desinfecção diários com o seu telemóvel e alertam para o facto de o Covid-19 pode sobreviver numa superfície plana, como o ecrã do seu telefone, durante vários dias. No entanto, isso não nos deve desviar das principais preocupações: lavar bem as mãos várias vezes ao dia, não tocar com as mãos na cara e tossir e espirrar sempre para o braço flectido e nunca para a mão.

Não esquecido isso, então trate de desinfectar o seu telemóvel e, acima de tudo, não o dar para a mão de ninguém. Até a Apple já veio esclarecer quais as especiais medidas de limpeza e desinfecção que pode ter com os seus gadgets, especialmente durante este surto de coronavírus. 

iphone-cleaning.jpg

  1. Limpe o seu telemóvel duas vezes por dia. O professor de Saúde Pública da Universidade de Waterloo, Peter Hall, aconselha a desinfectar o seu telemóvel ao almoço e ao jantar. Pelo menos, durante esta fase de epidemia viral. William Keevil, outro especialista em Saúde Pública ouvido pelo Telegraph, explica: "Pode estar a lavar muito bem as mãos, mas se for mexer no ecrã do seu telemóvel e a seguir tocar na sua cara, isso é uma potencial rota de infecção". Superfícies como o vidro – de que são feitos os ecrãs de telemóvel – são um ambiente ideal para os vírus se transmitirem.
  2. Desinfecte-o com toalhetes embebidos numa mistura com álcool. Este é o conselho dado pelos especialistas ouvidos pelo jornal britânico e aprovado pela Apple. Esta semana, depois de ter recebido várias mensagens de clientes a propósito do coronavírus, a marca veio esclarecer que é seguro desinfectar o seu iPhone – ou o teclado do seu computador – com toalhetes desinfectantes à base de álcool. Só precisa de ter estes cuidados: 
  • Antes de limpar o seu telemóvel, desligue-o e retire todos os cabos que o ligam à corrente.
  • Use toalhetes desinfetantes como Clorox ou outro com 70 por cento de álcool isopropílico.
  • Limpe suavemente as superfícies duras, exteriores e não porosas do iPhone ou de outro produto da Apple, como os ecrãs e os teclados, evitando a humidade nas aberturas.
  • Não esfregue excessivamente para não danificar o telemóvel. 
  • Não use lixívia.
  • Não mergulhe o iPhone, ou qualquer outro artigo da Apple, em produtos de limpeza.
  • Não dispare sprays de limpeza directamente contra o telemóvel.

Para seguir todas as recomendações das autoridades de saúde, consulte o site DGS ou da OMS.

 

Uma óptima semana para si onde quer que o seu telemóvel esteja,

Ele

 

fotos: d.r.

 

Powered by Blogger.