sabe qual o restaurante onde pode jantar em cima desta vista no algarve?

– Bom, meninos...

Foi com estas duas palavrinhas apenas e com um suave esfregar de mãos que o ansioso empregado nos convidou a voltar para casa menos de uma hora e meia depois de termos entrado para jantar. Não é que, com esta provecta idade, eu não goste de me deitar cedo, mas confesso que se tivesse tido oportunidade de pedir outro café – e, porque não, até uma aguardente de medronho?! – não ia negá-la.

Assim, limitei-me a pagar a minha conta e a conseguir bater o meu recorde de jantar mais rápido de férias. 

IMG_20200731_220724.jpeg

 

O serviço 

Antes, já tinha percebido que a ansiedade é uma característica comum no serviço do restaurante Dom Petisco, em Vila Real de Santo António, no Algarve. Apesar de terem dito que só tinham mesa para as 22h, às 21h40 já tinha três chamadas não atendidas do restaurante. Tudo para avisar que a nossa mesa já estava pronta e para nos convidar a apresentar-nos mais cedo. Perante a insistência, mandei as crianças rapidamente para o restaurante e apressei a minha querida e estimada Mulher Mistério, tendo conseguido chegar exactamente à hora marcada não fosse provocar uma taquicardia ao impaciente empregado.

540494_366813023367500_1166575085_n.jpg

O ambiente 

À porta, fomos recebidos por uma fita a impedir as entradas. Cumprindo as mais rigorosas regras da DGS, esperámos uns segundos que um empregado viesse retirar a fita e convidar-nos a desinfectar as mãos antes de entrarmos. Fomos encaminhados educadamente para uma mesa na esplanada, mesmo em cima do rio Guadiana, naquela que é seguramente uma das mais espectaculares esplanadas do Algarve.

Além de vermos água em todas as direcções, praticamente não se ouve qualquer ruído que não seja o do restaurante. E, no dia em que fomos, apesar de ser Agosto, o ambiente estava tranquilo e sossegado. O único detalhe menos recomendável é a atracção irresistível que os mosquitos do rio sentem pelos turistas do calção. E, para desgraça minha, no Verão, eu transformo-me num autêntico Pinóquio: dispenso o peitilho, mas sou incapaz de vestir umas calças.

Felizmente, o empregado colocou na mesa um imprescindível frasco de repelente com que besuntei as minhas invejáveis pernas (passe a imodéstia) de ex-futuro futebolista. E nem o cheiro nauseabundo do repelente ousou beliscar minimamente aquelas que são...

IMG_20200731_222817.jpeg

...As melhores amêijoas do Algarve 

Há um lugar para falar da comida e há um lugar de honra para falar das amêijoas (€15). Enormes e rechonchudas como uma bochecha do Winnie the Pooh, estas amêijoas têm tudo aquilo com que um homem sonha. Primeiro estão cozinhadas na perfeição: suculentas, húmidas e com um fabuloso sabor a mar vindo do interior. Depois são enormes – e quando falo do tamanho, não falo só do impressionante comprimento de cada amêijoa, mas também, e especialmente, do volume que as transforma nas mais gordas e anafadas amêijoas que comi nos últimos tempos. Finalmente, estão temperadas na perfeição, com a quantidade certa de coentros, o nível ideal de sumo de limão e os pedaços irresistíveis de alho.

Não sei se é possível encontrar todos os dias amêijoas destas no Dom Petisco, mas eu tive a sorte de ter provado as mais saborosas e carnudas amêijoas que já comi no Algarve.

IMG_20200731_222415.jpeg

As conquilhas 

Juntamente com as amêijoas, chegou aquele que é um dos mariscos preferidos da minha querida Mulher Mistério: as conquilhas (€10). É cada vez mais raro conseguir encontrar conquilhas no Verão, no Algarve. Mas aqui descobri umas deliciosas conquilhas ultra-saborosas e numa dose bem servida. Com um tempero suave e equilibrado, eram grandes e traziam um molho irresistível onde eu me desgracei a molhar o pão.

E este é o pretexto para recuar ligeiramente no meu entusiasmo e falar brevemente no couvert (€1,50 por pessoa). Composto por um pão que não entusiasma nem o António Costa em maré de optimismo (eu sou obcecado pelo tradicional pão algarvio da serra e este era bastante menos denso e estaladiço), trazia ainda manteiga de pacote e umas azeitonas com um tempero agradável. O melhor de tudo isto foi mesmo o queijo fresco alentejano de cabra (€2,60) que, não sendo a última Coca-cola do areal, era saboroso e forte como eu gosto.

536423_366813116700824_2022683766_n.jpeg

Os pratos principais 

Com uma boa montra de peixe para grelhar, eu preferi variar e pedir as especialidades da ementa. Convenci a minha querida Mulher Mistério – e toda a vasta família – a escolher os choquinhos à Algarvia (€10), que eu adoro, e arrisquei numa barriga de atum (€10,50). Assim, consegui comer duas doses inteiras: a de atum, que eu tinha pedido, e outra de choquinhos, composta por 1/5 de cada um dos outros pratos alheios que fui discretamente provando.

Os choquinhos vêm pequeninos e com tinta, como deve ser. Tenrinhos e muitíssimo saborosos, levam um fantástico tempero com azeite, louro, alho picado muito fininho e coentros. Eu sou absolutamente apaixonado por este prato – especialmente quando os choquinhos são minúsculos e deliciosos como os do Dom Petisco. Ainda por cima, os temperos estavam perfeitos. 

O único detalhe que eu dispensava são as batatas fritas a acompanhar. Ainda por cima, servidas directamente no mesmo prato onde está tudo o resto já pronto a comer, como se estivéssemos na cantina da escola. Não é que as batatas estivessem mal fritas mas, já que estamos no Algarve, podíamos ter direito àquelas fantásticas batatas cozidas salteadas em azeite e alho que me fazem chorar de cada vez que as cheiro.

IMG_20200731_224925.jpeg

A minha barriga de atum (por favor, não confundir com a minha própria barriga) estava absolutamente divinal. Grelhada levemente, vinha bem marcada por fora e muitíssimo mal passada por dentro, o que fazia sobressair aquela gordura única e irresistível do atum. Levava ainda um pouco de azeite, coentros e alho picado por cima que lhe dava um final fantástico.

Infelizmente, também vinha já empratada com o prato a abarrotar e a salada a sobrepor-se irritantemente à minha rica barriga de atum. Eu sei que sou um bocadinho obsessivo neste ponto, mas gosto de ser eu a servir-me da travessa e a colocar no prato as quantidades de comida que me apetecer.

IMG_20200731_225033.jpeg

As sobremesas 

Nesta altura, já o empregado circundava ansiosamente a nossa mesa, qual ave de rapina, numa cruel tentativa de nos afugentar. No entanto, não cedi e consegui pedir aquela que, para mim, é "A" sobremesa do Algarve: a fantástica tarte 3 delícias (€4), uma imbatível combinação de amêndoa, alfarroba e figo. Estava boa, mas um bocadinho doce demais para o meu gosto.

Enquanto eu processava toda esta informação e me preparava para perguntar se a aguardente de medronho era boa, o empregado aproximou-se, às 23h30, a esfregar as mãos e antecipou-se na resposta: 

– Aqui tem a continha.

 

O bom 

Os choquinhos, as conquilhas e a barriga de atum

O mau 

A pressa em mandar-nos embora

O óptimo 

A esplanada com uma vista fabulosa para o rio e as amêijoas gigantes

 

Um óptimo jantar para si onde quer que as amêijoas estejam,

Ele

 

fotos: casal mistério; dom petisco

 

Nota: Todas as despesas das visitas efetuadas pelo Casal Mistério a restaurantes, bares e hotéis são 100% suportadas pelo próprio Casal Mistério. Só assim é possível fazer uma crítica absolutamente isenta e imparcial. 
_____________________________

Dom Petisco

Estrada da Ponta da Areia

Vila Real de Santo António, Algarve

Tel: 281 541 853

 

Powered by Blogger.